Saiba o que é SPAM e como evitar essa prática na sua empresa

Será que você sabe mesmo o que é SPAM? Caso sua empresa adote esse tipo de estratégia, leia este post e entenda por que evitar.

Você sabe o que é SPAM? A sigla em inglês significa “Sending and Posting Advertisement in Mass” que, em tradução livre, diz respeito a enviar e postar publicidade em massa. Sendo assim, SPAM consiste no disparo de mensagens com fins de divulgação.

Apesar de, a princípio, disparos em massa parecerem uma boa saída para disseminação de uma marca, essa pode ser uma estratégia perigosa e capaz de gerar o efeito contrário.

Mas como saber se sua empresa está praticando SPAM? Quais são os riscos envolvidos nessa prática? Veja neste post o que fazer para evitar isso na sua empresa.

O que é SPAM?

Como mencionamos, para saber o que é SPAM é preciso entender que se trata do envio de e-mails, telefonemas ou vários outros tipos de comunicação em massa com o objetivo de divulgar e oferecer produtos, serviços ou eventos.

Essa, normalmente, é uma maneira de fazer anúncios a baixo custo e ampla escala por meio de dispositivos eletrônicos. Sua praticidade e economia fazem com que essa seja uma estratégia bastante cogitada por empresas.

O grande porém de tudo isso é o fato de que, em grande parte das vezes, o destinatário não solicitou ou não autorizou o recebimento dessas mensagens. Nesse sentido, enviar SPAM pode ser um caminho para estragar a reputação e prejudicar a credibilidade de uma marca.

Quais são os tipos e canais usados para SPAM?

O envio em massa de mensagens com teor publicitário normalmente é feito por meio de diversos canais de comunicação. Veja a seguir os principais canais e como garantir que sua empresa saiba o que é SPAM e como evitá-lo.

O que é SPAM por e-mail

Esse é, talvez, o tipo mais comum de SPAM. Não é raro encontrar companhias que compram listas de contatos para fazer disparos de e-mail em massa divulgando seus produtos e/ou serviços.

Entretanto, a linha entre e-mail marketing e SPAM pode ser bastante tênue. Por esse motivo é tão importante saber o que é SPAM. O principal fator diferenciador entre elas está na obtenção do opt-in (ou seja, da autorização) dos usuários para o recebimento desses e-mails.

No entanto, como explicaremos a seguir, ainda que se tenha o opt-in, o usuário é quem faz a denúncia para os servidores de e-mails quando acredita que está sendo vítima de SPAM. Nesse sentido, o conceito fica um tanto quanto subjetivo, o que aumenta a importância do envio apenas de mensagens relevantes para os contatos.

SPAM por WhatsApp e SMS

Mensagens enviadas por aplicativos de mensagens também podem ser consideradas SPAM. No WhatsApp, por exemplo, as empresas só podem enviar mensagens ativamente para os usuários mediante opt-in passível de comprovação. Quando o fazem sem essa autorização, podem ser consideradas fontes de SPAM.

No caso do SMS, não há uma regra que impeça o envio de mensagens sem autorização ou que puna quem o faz. Ainda assim, é preciso evitar o disparo massivo devido ao impacto que isso pode trazer para a credibilidade da empresa.

SPAM em redes sociais

É evidente que o objetivo do uso das redes sociais pelas empresas é se aproximar mais do público e divulgar suas ofertas, promoções, produtos e serviços. Apesar de ser essa uma oportunidade, é preciso usar esses canais com cautela.

Ficar recebendo uma quantidade exaustiva de mensagens promocionais pode configurar SPAM e incomodar os usuários, fazendo-os até mesmo bloquear os perfis da marca. 

SPAM por telefone

Diferentemente do que se pode pensar, é possível que SPAM seja enviado por telefone. É o caso, por exemplo, de mensagens gravadas que buscam convencer o consumidor a adquirir algo que a empresa oferece.

No entanto, assim como no caso dos servidores de e-mails que já são capazes de identificar contas que enviam muito SPAM, as empresas de telefonia também já têm conseguido mapear isso. Inclusive, existem casos em que, em vez do número de telefone, aparece a mensagem “SPAM” na tela do celular da pessoa que recebe aquela ligação.

Quais são os riscos de fazer SPAM?

Por ser uma prática não muito bem vista pelos usuários, o SPAM pode incomodar os destinatários das mensagens, principalmente quando elas não foram solicitadas ou autorizadas.

Isso, por si só, prejudica a imagem da empresa. No entanto, em algumas situações, o efeito pode ser direto, como nos casos em que as pessoas que recebem esse tipo de comunicação por e-mail, por exemplo, marcam-no como SPAM.

Os servidores de e-mail passaram a avaliar a reputação dos domínios por meio disso. Sendo assim, muitas denúncias de SPAM referentes a um mesmo domínio incentivam que esses servidores rastreiem o IP (ou seja, o identificador do servidor) de quem o pratica.

Aquele remetente é, então, inserido numa lista que é compartilhada com outros servidores. Quando isso acontece, todos os e-mails enviados por aquele IP são marcados como SPAM e muitas vezes não chegam nem à caixa de entrada dos usuários.

No WhatsApp, as contas também podem ser reportadas como SPAM e sofrerem consequências por isso. Quando mensagens repetitivas e não desejadas são recebidas pelos usuários do aplicativo, é possível que eles as denunciem como SPAM.

A depender da quantidade de denúncias e constatada a contrariedade às regras do próprio WhatsApp, a conta responsável pelos envios pode sofrer advertências. Caso a situação se repita, a empresa pode ter o número banido no WhatsApp.

Como evitar a prática de SPAM na estratégia de comunicação da minha empresa?

Como pudemos perceber, para ter sucesso nas campanhas de marketing, é preciso fugir ao máximo do envio de mensagens SPAM. Mas como evitar isso? É o que explicaremos a seguir.

Obtenha sempre o opt-in dos contatos

O primeiro e mais importante passo para ter uma comunicação realmente eficiente é obter o opt-in dos usuários para que sua empresa envie mensagens. Mas como fazer isso? Existem diversas maneiras:

  • usando formulários em landing pages;
  • assinalando isso em contratos;
  • por e-mail;
  • por SMS;
  • por WhatsApp;
  • pelo site da empresa.

Tenha uma política de privacidade

É fundamental contar com uma política de privacidade que aborde todas as possíveis situações de contato que a sua empresa pode ter com o cliente. Não deixe de evidenciar também a possibilidade, a qualquer momento, de revogar a autorização, com o chamado opt-out.

Trace uma estratégia de comunicação relevante

Uma comunicação relevante é capaz de entregar informações que serão úteis para os usuários. Para isso, não deixe de traçar uma estratégia sobre como sua marca se comunicará com seus contatos, fazendo segmentações adequadas da base e usando os canais mais compatíveis com o objetivo.

Faça manutenção periódica da lista de contatos

Mais do que segmentações, faça manutenções periódicas nas listas de contatos identificando, por exemplo, aqueles que solicitaram cancelamento das comunicações e aqueles que aparentemente mudaram de interesse e por isso devem estar em outro tipo de segmentação, entre outros fatores.

Saber o conceito de o que é SPAM é muito importante para evitar que seus contatos tenham esse tipo de experiência com a sua marca. Mas, mais do que isso, não deixe de entender quais são as comunicações que sua organização faz que podem ser consideradas como tal.

Isso porque adotar o SPAM pode, no fim das contas, minar sua estratégia de comunicação, afastando clientes e possíveis clientes da sua marca.

Agora que você entendeu o que é SPAM, que tal conferir alguns conceitos de segurança digital importantíssimos para seu negócio? Leia nosso artigo “O que é segurança digital e como garantir que seu negócio esteja seguro”.

Escrito por

Marcela Melo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.