Zenvia e startup D1 se unem criando negócio de R$ 500 milhões de receita

O fundador da D1, Fernando Wosniak Steler, vira acionista do grupo Zenvia e continua no comando da operação da startup

O fundador da D1, Fernando Wosniak Steler, vira acionista do grupo Zenvia e continua no comando da operação da startup

Março de 2021 – A Zenvia, conhecida por sua plataforma de comunicação e experiência do cliente, acaba de anunciar que está unindo suas operações com a startup D1, especializada em softwares para digitalizar operações do varejo, bancos e seguradoras. Juntas, as duas empresas somam faturamento de cerca de 500 milhões de reais em 2020. A união das empresas deve ser concluída até o final do segundo trimestre, o valor da transação não foi divulgado.

Fernando Wosniak Steler, fundador e presidente da D1, passará a compor o conselho de administração e o grupo de acionistas do grupo Zenvia, ao lado do fundador e presidente da empresa, Cassio Bobsin. O Inovabra Ventures, braço de Venture Capital do Bradesco, que investiu na startup na sua série A, continua como acionista do grupo, ao lado da Oria Capital, que investe na Zenvia. Outros investidores não especificados pelas empresas fizeram a saída de seus aportes na operação.

A Zenvia, fundada há 17 anos, tem mais de 10.000 empresas que usam suas soluções de comunicação para atendimento de clientes. Já a D1, criada em 2012, é especializada em digitalizar processos de mais de 100 companhias tradicionais — ela ajuda bancos, por exemplo, a transformar o envio de faturas físicas em arquivos online por SMS.

Agora, no primeiro momento após a aquisição, as empresas vão começar a explorar a venda cruzada de seus produtos para a base de clientes uma da outra. Por enquanto, as marcas seguirão separadas, mas os sócios estudam maneiras de absorver as soluções da D1 dentro do guarda-chuva da Zenvia no futuro.

Ambas as empresas estão habituadas com fusões e aquisições. Em julho de 2020, a Zenvia comprou a startup argentina Sirena, especializada em comunicação por WhatsApp para equipes de vendas. A D1, por sua vez, comprou a Smarkio, companhia que usa inteligência artificial para fazer automação do atendimento ao cliente, em outubro.

Foi no ano passado, com o aquecimento do mercado de tecnologia, que as duas empresas começaram a conversar sobre uma possível união de seus negócios. Steler e Bobsin são amigos de longa data: por atuarem no mesmo mercado e fazerem parte da rede de empreendedores da organização Endeavor, eles trocam figurinhas sobre o tecnologia desde 2013.

“Entendemos que temos competências complementares. De um lado, a Zenvia tem escala grande, com 10.000 clientes. Já a D1 tem aprofundamento e buscou fazer uma jornada sofisticada para as grandes empresas que atende. São tecnologias desenvolvidas e amadurecidas ao longo de anos e que, combinadas, tem poder de levar impacto para as pessoas”, diz Cassio Bobsin.

A expectativa dos fundadores é construir uma empresa de tecnologia de classe global. Hoje, as companhias somadas têm 750 funcionários e escritórios no Brasil, Argentina e México. “Crescemos 287% ao comparar 2019 com 2020 e planejamos continuar esse alto crescimento nos próximos anos, que deverá ser acelerado pela sinergia com a Zenvia. Juntos, já nos tornamos a maior plataforma de comunicação para experiência do cliente na América Latina. Estamos motivados em saber que ainda existe muito espaço para crescer”, afirma Fernando Wosniak Steler.

Artigo publicado no portal da Revista Exame em: https://exame.com/pme/zenvia-startup-d1-criando-negocio-de-r-500-milhoes-de-receita/

Categorias:
Escrito por

Zenvia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro e confira as nossas dicas sobre o mercado mobile e interação digital.