blog-herobg.jpg

BLOGZENVIA

Confira nossas dicas e conteúdos
sobre mercado digital
design-de-interacao-ixd

Entenda o que é design de interação e descubra quais habilidades são necessárias para gerenciar um projeto

Com o notável aumento da preocupação de serviços digitais e negócios de desenvolvimento de software com a experiência do usuário (UX), ficou claro como o design exerce um papel que vai além da aparência. Surgiram campos cada vez mais especializados para trazer ainda mais qualidade aos produtos, como é o caso do design de interação.

Veremos o que significa o conceito, os tipos de empresas em que ele pode ser útil e quais habilidades um profissional precisa dominar para gerenciar um projeto nessa linha.

O que é design de interação?

O design de interação, ou interaction design (IxD), tem como finalidade garantir que as pessoas atinjam seus objetivos da melhor forma enquanto interagem com um produto por meio de uma interface, seja ele digital ou físico. Com isso em mente, é necessário levar em conta aspectos estéticos, sonoros, espaciais, referentes ao movimento e muitos outros para a concepção do produto.

Para entendermos o que isso significa, vamos considerar o modelo das cinco dimensões do design de interação, proposto por Gillian Crampton Smith, que idealizou as quatro primeiras, e Kevin Silver, que acrescentou a quinta.

Palavras

Textos e palavras, como as opções de um menu ou a legenda de um botão, devem ser simples e, ao mesmo tempo, informativos. Conteúdos que expliquem mais que o necessário podem confundir o usuário e atrapalhar a interação.

Representações visuais

As representações visuais têm um apelo muito forte sobre como nos sentimos em relação a um objeto ou software. Já que aquilo que vemos em um produto afeta diretamente a nossa experiência, é preciso preocupação com imagens, ícones, tipografia e outros elementos gráficos.

Espaço físico

O quesito espaço físico diz muito sobre o contexto em que o usuário vai interagir com o artefato. Por isso, é importante se guiar por algumas perguntas.

  • O usuário vai usar o produto em casa ou no trabalho?
  • Sentado ou em movimento?
  • Por meio de um computador, tablet, smartphone ou outro dispositivo?
  • Vai usar botões, tela de toque, teclado, mouse, ou manipulá-lo diretamente?
  • É possível interagir apenas com os dedos ou também por meio de um sistema conversacional?

Tempo

Essa dimensão faz referência a alguma mídia que se altere ao longo do tempo durante a interação, de modo a oferecer um feedback ao usuário, como é o caso de um som, uma animação ou um vídeo. Aqui, é preciso ter cuidado e conhecer o público, já que pequenas diferenças de duração podem ser decisivas para gerar a satisfação do cliente ou a sua frustração.

Comportamento

A quinta e última dimensão representa como todas as anteriores se unificam para definir as interações de um produto, além de incluir a reação emocional quanto ao uso daquele artefato e a relevância do seu impacto social.

Qual é a diferença entre design de interação e UX?

Como a área de UX visa promover a melhor experiência possível para o usuário, é de se esperar que a interação com o produto também seja objeto de estudo do campo. Por esse motivo, existe uma grande interseção de disciplinas entre a UX e o IxD, sendo que a experiência do usuário tem uma atuação muito mais ampla.

Para você ter uma ideia, em user experience não consideramos apenas os elementos interativos de um produto, mas também fatores como:

  • armazenamento e recuperação da informação;
  • personas (representação do usuário com aspectos como as expectativas do cliente, suas necessidades e objetivos);
  • características e benefícios que não sejam necessariamente funcionais, mas que façam o produto ser atrativo aos usuários.

Sendo assim, é adequado afirmarmos que o design de interação é uma espécie de subconjunto da UX. Contudo, vale lembrar que em algumas empresas haverá cargos distintos para um UX designer e um designer de interação, mas é provável que uma mesma pessoa seja contratada para exercer as duas funções.

Em que áreas o IxD tem utilidade?

A área de tecnologia da informação tem bastante demanda por profissionais de design de interação porque quando o assunto é desenvolvimento de software e serviços digitais, é essencial construir uma interface intuitiva e incorporar elementos que ajudem o usuário a interagir com o produto sem enfrentar barreiras.

Porém, não é só na parte tecnológica que um designer de interação pode trabalhar. Agências de publicidade e marketing e de comunicação digital precisam desses especialistas para criar campanhas interativas que chamem a atenção do público e gerem mais engajamento que ações convencionais.

Além disso, escritórios de design também contratam colaboradores com essa especialidade para integrar os mais diversos projetos que exijam cuidado na parte de interação.

Quais habilidades um designer de interação precisa ter?

Listamos a seguir as três principais competências que devem fazer parte da formação de um designer de interação.

Prototipação

O profissional em IxD precisa saber projetar os comportamentos de um produto interativo e apresentar essas ideias para colegas, líderes ou clientes avaliarem. E a melhor forma de fazer isso é por meio da prototipação, o que pode envolver papel, wireframes e, principalmente, protótipos interativos.

Psicologia do design

Ter noções sólidas de psicologia do design é fundamental para criar uma percepção de como as pessoas vão lidar com o artefato e projetar interações apropriadas com base nisso. É com essa competência que será possível estimar o estado psicológico do usuário em certas interações e lidar com uma das dimensões mais relevantes para o IxD que vimos anteriormente: o comportamento.

Pensamento criativo

Ter a capacidade de resolver problemas com criatividade é outra competência esperada de um designer de interação. Como projetar interações requer uma abstração maior que desenvolver interfaces, por exemplo, o pensamento criativo fará toda a diferença na qualidade do produto.

Como visto, o design de interação tem uma grande importância na concepção de produtos e sua atuação não se limita à área de tecnologia. Com as competências inerentes à profissão desenvolvidas, um especialista em IxD poderá trabalhar em tipos de negócio variados e certamente conseguirá gerenciar projetos com sucesso nesse campo.

Gostou do artigo? Quer receber conteúdos como este diretamente no seu e-mail? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades e dicas sobre interação digital!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Fique por dentro e confira as nossas dicas sobre o mercado mobile e interação digital.

New Call-to-action

POSTS MAIS LIDOS