blog-herobg.jpg

BLOGZENVIA

Confira nossas dicas e conteúdos
sobre mercado digital
computacao cognitiva

Entenda o que é a computação cognitiva e os seus benefícios

A computação cognitiva tem o objetivo de automatizar e agilizar os processos, permitindo que futuramente elas tenham maior redução de custos e ofereçam melhores experiência de atendimento.

Isso ocorre pois o sistema dotado de cognição é capaz de absorver as informações, processá-las e propor caminhos a partir desses dados. É algo que vai além do machine learning (entenda no comparativo mais abaixo).

Para atender às demandas do mercado, as companhias têm buscado a computação cognitiva para se manter relevante diante da concorrência.

Antigamente, as máquinas eram utilizadas apenas para fazer cálculos complexos. Com o avanço e a popularização da tecnologia, os usuários passaram a desenvolver seus próprios programas.

Porém, as empresas viram a dificuldade de gerenciar as informações obtidas durante os processos, tornando soluções como a computação cognitiva um caminho para melhorar a tomada de decisão. 

Seja na medicina, ao ajudar o médico a decidir o tratamento ideal para o paciente, seja no jurídico, ao auxiliar o juiz a tomar a decisão de condenar ou não um infrator, depois de comparar o processo com as leis infringidas.

Benefícios da computação cognitiva em diferentes áreas

Para mostrar a sua eficiência, a computação cognitiva já produz alguns exemplos e possibilidades.

Na medicina

Sabemos o quanto um tratamento de câncer é complicado. O momento de analisar os dados de um paciente e encontrar o melhor tratamento para cuidar da doença pode levar muito tempo.

Para resolver o problema, foi desenvolvido o Watson Oncology. Como o programa já possui diversas pesquisas sobre a doença em seu banco de dados, basta o médico inserir as informações do paciente para que o robô verifique, de forma mais prática, qual é o tratamento mais adequado para o caso.

Dessa forma o médico consegue em poucos segundos as melhores opções de tratamento para cuidar do paciente.

Na hotelaria

Com o objetivo de melhorar a experiência dos viajantes, a empresa Go Moment, em parceria com a IBM, utilizou a computação cognitiva para aprimorar o atendimento aos seus hóspedes.

Seja na resposta a dúvidas mais simples, seja com sugestão de quais pontos turísticos devem ser visitados, a máquina tem a capacidade de mostrar rapidamente a solução para o usuário.

Na área de finanças e seguros

Recentemente, uma corretora de seguros japonesa implementou o Watson, sistema de computação cognitiva da IBM, na área de análise de riscos.

O sistema foi alimentado com inteligência e se tornou capaz de prever perfis de riscos para o cálculo de prêmios, franquias e custos relacionados aos serviços da corretora.

No mercado da moda

Outro exemplo da capacidade cognitiva dos computadores é o Echo Look, assistente virtual do Amazon capaz de avaliar os figurinos dos usuários.

Com essa avaliação, a solução pode sugerir trocas de peças e até encaminhar o usuário para compras. Quanto mais informações de moda, mais afinado o Echo Look fica.

Mas o que é computação cognitiva?

De forma resumida, a computação cognitiva é um conjunto de técnicas e algoritmos que ajudam a transformar dados em informação. Por meio da extração e interpretação de dados, a tecnologia permite compartilhar o conhecimento de maneira inteligente.

Em 2011, a IBM colocou a sua nova invenção, batizada de Watson, em um programa de perguntas e respostas popular na televisão americana, o Jeopardy. De forma surpreendente, o robô venceu os seus oponentes com uma grande vantagem de pontos.

Entenda a diferença entre computação cognitiva, inteligência artificial e machine learning

Por ser um termo pouco conhecido, é natural que as pessoas tenham dificuldades em diferenciar as tendências. Veja abaixo uma breve explicação de cada um!

  • inteligência artificial: tem como objetivo usar dispositivos para realizar atividades humanas de forma autônoma. Ao contrário da computação cognitiva, a AI tem como foco a resolução de problemas complexos;
  • machine learning: a tecnologia tem como princípio verificar padrões dentro de um processo. Ao utilizar o machine learning, a empresa pode prever comportamentos por meio de uma análise dos dados coletados, a fim de resolver um problema;
  • computação cognitiva: diferente dos termos citados, a computação cognitiva tem a capacidade de processar informações de forma semelhante ao cérebro humano. O diferencial está na sua maneira mais eficaz de utilizar o conhecimento adquirido, que vai além de apenas reproduzir informações.

Os computadores também estão cada vez mais capazes de processar e interpretar a linguagem humana em suas variadas possibilidades. Isso se caracteriza por uma área chamada NLP (Natural Language Processing), que já empodera inclusive chatbots. Conheça os 5 métodos de NLP mais utilizados nos chatbots.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Fique por dentro e confira as nossas dicas sobre o mercado mobile e interação digital.

New Call-to-action

POSTS MAIS LIDOS