/Blog

Migração de data center: confira o case da ZENVIA

Vamos mostrar a migração de data center na ZENVIA, desde o início do processo, as equipes envolvidas até o resultado final. Confira!

A migração de data center, sem dúvidas, envolve uma série de boas práticas. Afinal, estamos falando da permissão de acesso e processamento de um volume alto de dados estruturantes. Por isso, sua própria manutenção já exige um grau de expertise elevado. Assim, quando falamos na migração de data center, é preciso levar em conta um planejamento minucioso e a colaboração de diversas áreas da empresa

Antes de mais nada, é preciso ressaltar que cada migração possui sua particularidade, assim como cada empresa terá demandas e necessidades que precisarão ser atendidas pela utilização e migração de data center. Mas, independentemente do caso em questão, o planejamento sólido das ações que envolvem todo o processo de preparação e execução é fundamental para que cada atividade ocorra sem percalços. Tudo isso no tempo certo, respeitando o grau de dificuldade da mudança e tomando todas as precauções para atender o objetivo final da migração.

Em determinado ponto de evolução das empresas, devido ao crescimento e escalabilidade do próprio negócio, a migração de data center acaba sendo um ponto em discussão. E, a partir disso, se torna um processo-chave para que a organização possa continuar aumentando seus serviços ou incluindo novos recursos. Além disso, é natural que com o progresso da tecnologia, as próprias condições necessárias de infraestrutura precisem ser atualizadas. Novamente, um plano robusto é o grande diferencial para alcançar o sucesso da migração. 

Neste artigo, vamos mostrar como ocorreu a migração de data center na ZENVIA, abordando desde o início do processo, as etapas durante, as equipes envolvidas até o resultado alcançado. Confira!

Migração de data center na ZENVIA: etapa por etapa

O início do processo de migração de data center começou a partir de uma discussão interna da própria equipe da ZENVIA. Para entender como se deu a migração, é importante voltar para as primeiras etapas e compreender qual foi o objetivo inicial. Dessa forma, em 2020, a equipe da ZENVIA começou a discutir sobre a consolidação de datacenters para os produtos que estavam em uma infraestrutura on-premise. 

A partir daquele momento, começou-se a rascunhar as primeiras ideias para revolucionar a segurança para os clientes de SMS.

Quando se fala em migração de data center há um grande compromisso envolvido. No caso em específico, a migração de data center estava ancorada na responsabilidade de movimentar um ambiente que impacta mais de 200 milhões de pessoas ao ano. Basta pensar que a ZENVIA entrega pelo menos uma mensagem de SMS para cada brasileiro anualmente e realiza mais de 1 bilhão de transações em banco de dados por dia. 

Com todo esse panorama, foi necessário um tempo de planejamento e desenvolvimento de plano de ação para se dar efetivamente a consolidação das atividades. Entre todas as etapas envolvidas, para que uma migração de data center ocorra da melhor maneira possível, e isso está dentro das lições aprendidas no processo, é necessário dedicação, comprometimento e muitas trocas. 

Isso porque as equipes da ZENVIA trabalharam juntas para a melhor entrega. “Um ponto que sempre ressaltamos é que, do início ao fim, a equipe teve total autonomia para atuar, expor suas ideias, com todos trabalhando de forma colaborativa”, explica Rodrigo de Avila, analista de Infraestrutura.

Do primeiro passo ao resultado final da migração

O primeiro e mais importante passo de todo o trabalho de migração de data center foi o desenho em conjunto de como a equipe gostaria de ver a estrutura final da plataforma. Nessa etapa, foi necessário decidir arquitetura de rede, servidores e como otimizar os processos, focando na segurança e pensando, acima de tudo, na melhor experiência para o cliente. 

O segundo passo foi onde houve grandes aprendizados e colaboração de todos os envolvidos. Ou seja, a etapa de entendimento de como o produto funcionava, desde o modus operandi até as dependências, conexões e necessidades. Com base nisso, foi iniciado o processo de automação do ambiente, escolha de ferramentas, repositórios e divisões de estrutura. Todo o processo envolveu acertos, erros e aprendizados de como deveria funcionar. 

Após a segunda etapa concluída, iniciou-se o estágio de provisionamento dos servidores.  Mais do que a atualização do ambiente, é essencial focar no aumento da segurança. O trabalho feito foi para aprimorar a segurança nas conexões e proteções para o ambiente. E esta etapa foi crucial para todos.

O momento da virada de chave dos datacenters foi um marco, com as presenças dos times de tecnologia, suporte e diretoria.

O resultado final foi a entrega de um ambiente robusto, seguro, totalmente automatizado, atualizado, e com melhorias em microsserviços, bancos de dados e barramentos como Kafka e aplicações standalone. Isso possibilita a visão de muitas melhorias que ainda podem ser aplicadas e o crescimento de todos os envolvidos, não apenas no que diz respeito à tecnologia, mas também na colaboração e troca de conhecimentos entre áreas.

*Ederson Bitencourt é Site Reliability Engineer Squad Leader (SMS Channel) na ZENVIA

Categorias:
Escrito por

Ederson Bitencourt

Leia também